in ,

Antártida terá sua primeira Parada LGBT da história

As Paradas do Orgulho LGBT que acontecem em vários países do mundo se tornaram um marco da celebração da comunidade formada por lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros, sendo um grito de existência e resistência ao conservadorismo, bem como um ato político da luta por nossos direitos. No Brasil, a Marcha acontece em várias cidades, com destaque para São Paulo e Rio de Janeiro, as mais tradicionais do país. Um fato interessante, porém, é que pela primeira vez na história a Antártida, conhecida como o continente gelado, terá uma Parada do Orgulho LGBT. A ideia nasceu de um grupo de dez trabalhadores LGBT que vivem no continente e trabalham na Estação McMurdo, a 1.368 km do Polo Sul. É estimado que atualmente vivam 133 pessoas na estação norte-americana da Antártida, mas esse número mais que triplica nos meses do verão (entre outubro e fevereiro), chegando a capacidade de até 900 pessoas. E viva a diversidade e o direito de se expressar como é sem correr riscos de violência ou discriminação!!! <3


Como seria o homem perfeito para você?
Todo mundo tem um tipo de homem perfeito, algumas pessoas têm algo muito bem definido e específico e outras pessoas menos.

Achar o cara perfeito – ou quase perfeito – nem sempre é uma tarefa fácil quando estamos buscando no lugar errado. E isso deve estar acontecendo com você!

O cara perfeito incluí também o que ele deseja. Se apenas uma noite, um lance rápido, um namoro e até um casamento.

Talvez esteja difícil para você encontrar essa pessoa porque ainda não procurou no Disponivel.com. Com mais de 548.284 homens cadastrados tenho certeza absoluta que o “seu número” está lá te esperando. Clique aqui e comece agora mesmo.

Written by Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Homens héteros participam de uma disputa super gay da TV britânica e o resultado é hilário

Simpatizante da comunidade LGBT, atleta belga diz que os jogadores não se assumem por vergonha