in ,

Consulado norte-americano recusa entrada de brasileiro que quer se casar com namorado americano

Foi em 2010, através da internet, que o brasileiro Josefan Suplime dos Santos, 41, conheceu o americano Jack Kerr Ellis, 75. Foram seis meses de conversa via skype até que finalmente Jack veio ao Brasil para conhecer pessoalmente Josefan.
 
O casal tem mantido um relacionamento a distância desde então, com alguns encontros no Brasil. No início desse ano decidiram se casar e desde então estão enfrentando um dura batalha contra o consulado norte-americano.
 
"O consulado alega que nossa história não é suficiente. Já fizemos diversas entrevistas, no último dia 8 de maio eles pediram que meu companheiro viesse dos Estados Unidos para uma entrevista dupla e ainda assim negaram. Ele está doente, não pode ficar se deslocando a troco de nada", conta Josefan.

+ Hong Kong se recusa a realizar casamentos em consulado britânico

 
Ele ainda diz que o processo das entrevistas foi humilhante e a todo momento eles foram discriminados pela diferença de idade, pela orientação sexual e até mesmo de cor. "Não quero nada demais, apenas me casar com meu companheiro", defende Josefan
 
Nossa redação tentou contato com  a assessoria do consulado norte-americano, mas não obteve nenhum retorno.
 


Como seria o homem perfeito para você?
Todo mundo tem um tipo de homem perfeito, algumas pessoas têm algo muito bem definido e específico e outras pessoas menos.

Achar o cara perfeito – ou quase perfeito – nem sempre é uma tarefa fácil quando estamos buscando no lugar errado. E isso deve estar acontecendo com você!

O cara perfeito incluí também o que ele deseja. Se apenas uma noite, um lance rápido, um namoro e até um casamento.

Talvez esteja difícil para você encontrar essa pessoa porque ainda não procurou no Disponivel.com. Com mais de 548.284 homens cadastrados tenho certeza absoluta que o “seu número” está lá te esperando. Clique aqui e comece agora mesmo.

Alerta Magia: Romario, uma delícia de mineirão

Paulo Betti será gay estereotipado e maldoso em “Império”