in ,

“O cinema que ousa dizer seu nome” – Livro traz painel do cinema LGBT nacional

Através de entrevistas com cineastas brasileiros que lidam com temática LGBT em seus filmes, o livro joga luz sobre as dificuldades que cada realizador enfrenta para produzir seus filmes.

+As Crônicas de Miramar – Livro de ficção com personagem Gay é inspirado em Harry Potter

Ao realizar um mosaico inédito de entrevistas com estes cineastas, o cineasta e jornalista Lufe Steffen busca um parentesco com obras seminais do mesmo gênero, como "Hitchcock Truffaut" (de François Truffaut) e "Afinal, quem faz os filmes" (de Peter Bogdanovich) – ambas compostas por um cineasta entrevistando seu (s) colega (s).

Paralelamente à publicação do livro, haverá a realização de uma mostra retrospectiva, que exibirá alguns curtas- metragens dirigidos pelos cineastas entrevistados no livro.

Contexto Histórico

Nos últimos vinte anos, o cinema brasileiro renasceu com a chamada fase da "retomada", após o hiato criado pelo fim da Embrafilme.

Nessas duas últimas décadas, nossa produção se reinventou e se pluralizou. Entre os caminhos abertos, surgiu um cinema esteticamente eclético, com linguagens diversas, mas que se unifica por um tema: a diversidade sexual.

Não podemos falar em movimento cultural de cinema gay no Brasil, porque a palavra "movimento" costuma definir artistas e obras ligados por características estéticas.

Mas podemos agrupar alguns cineastas brasileiros que, recorrentemente, têm se dedicado a realizar filmes protagonizados por personagens gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros – criando assim um mosaico de representações do universo GLBTs.

O livro dá a palavra, portanto, a esse grupo de cineastas, nascidos em diversas cidades do Brasil, produzindo também em diversos pontos do país. Através de entrevistas diretas, eles revelam seus processos de criação, sua arte e seu cinema.

Entre os entrevistados no livro, estão nomes como Daniel Ribeiro (diretor do mundialmente premiado "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho"), Dácio Pinheiro (realizador do documentário "Meu Amigo Claudia", que narra a trajetória da artista travesti Claudia Wonder), Filipe Matzembacher & Marcio Reolon (diretores do longa "Beira-Mar"), Marcelo Caetano (premiado por curtas como "Bailão"), Otavio Chamorro (diretor premiado por filmes como "Vagabunda de Meia Tigela") e os integrantes do coletivo (sediado em Recife) Surto & Deslumbramento, num total de vinte entrevistas.

Lançamento do Livro

Para quem também se interessou por esse livro babadeira, repleto de arte, cultura e história, o lançamento acontece no próximo sábado (23) no Espaço dos Parlapatões – Praça Roosevelt, 158 – São Paulo / SP, as 17h .

Ótima oportunidade ara adquirir o livro e conversar diretamente com o autor!

 
 

Como seria o homem perfeito para você?
Todo mundo tem um tipo de homem perfeito, algumas pessoas têm algo muito bem definido e específico e outras pessoas menos.

Achar o cara perfeito – ou quase perfeito – nem sempre é uma tarefa fácil quando estamos buscando no lugar errado. E isso deve estar acontecendo com você!

O cara perfeito incluí também o que ele deseja. Se apenas uma noite, um lance rápido, um namoro e até um casamento.

Talvez esteja difícil para você encontrar essa pessoa porque ainda não procurou no Disponivel.com. Com mais de 548.284 homens cadastrados tenho certeza absoluta que o “seu número” está lá te esperando. Clique aqui e comece agora mesmo.

Eddie Redmayne comenta como foi fazer uma trans no filme “A Garota Dinamarquesa”

Não está fácil para os peruanos – Favorita à presidência do Peru declara-se contra união gay